Cientistas acidentalmente criaram uma enzima que se alimenta de plástico e poderá ajudar a crise da

Cientistas criaram uma substância capaz de “comer” plástico que poderia ajudar a combater o problema de poluição do mundo. A substância é baseada em uma enzima - um "catalisador biológico" - produzida pela primeira vez por bactérias que vivem em um centro de reciclagem japonês, e os pesquisadores sugeriram que ela tivesse evoluído para comer plástico.

foto - yahoo.com

Chamada de PETase por sua capacidade de quebrar o plástico PET usado para fazer garrafas de bebidas, a enzima acelerou um processo de degradação que normalmente levaria centenas de anos. Ao quebrar o plástico em pedaços gerenciáveis, os cientistas sugerem que suas novas substâncias poderiam ajudar a reciclar milhões de toneladas de garrafas plásticas. O plástico é notoriamente resistente à degradação natural, e a descoberta das bactérias japonesas que comem plástico em 2016 foi anunciada por especialistas e comentaristas como uma solução natural em potencial para a poluição por plásticos.

foto - inhabitat.com

Ao tentar verificar essas alegações, o professor de biologia da Universidade de Portsmouth, John McGeehan, e seus colegas criaram acidentalmente uma versão super-poderosa da enzima que come plástico. Durante uma investigação da estrutura da enzima, os cientistas fizeram um ligeiro ajuste na parte que estaria envolvida com a digestão plástica. Ao fazê-lo, aumentou a capacidade da enzima degradar o PET, e também lhe deu a capacidade de degradar uma forma alternativa de PET conhecida como PEF. "Embora a melhora seja modesta, essa descoberta inesperada sugere que há espaço para melhorar ainda mais essas enzimas, aproximando-nos de uma solução de reciclagem para a montanha cada vez maior de plásticos descartados", disseram os cientistas.

Fonte - https://www.yahoo.com/news/plastic-eating-enzyme-accidentally-created-201211717.html

Notícias em destaque
Notícias recentes
Arquivo
Siga-nos
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© 2018 by Ideologia Coletiva. Todos os direitos reservados.