Pesquisadores criaram membrana bio-inspirada que captura 90% do CO2 emitido pelas usinas

Pesquisadores do "Laboratório Nacional Sandia" desenvolveram uma nova membrana biologicamente inspirada que pode capturar o dióxido de carbono da fumaça das usinas elétricas. Jeff Brinker, professor da Universidade de New Mexico e correspondente do laboratório explica: “Nosso método barato segue a orientação da natureza em nosso uso de uma membrana à base de água de apenas 18 nanômetros de espessura que incorpora enzimas naturais para capturar 90% do dióxido de carbono liberado. Isso é quase 70% melhor do que os métodos comerciais atuais e é feito por uma fração do custo ”.

foto - guarulhosemrede.com.br

Brinker disse que, no passado, era proibitivamente caro remover CO2 da fumaça de carvão com membranas de polímero disponíveis. No entanto, a membrana de sua equipe possui um "custo relativamente baixo de US $ 40 por tonelada".

foto - Jeff Brinker

Os pesquisadores chamam a membrana de "memzima" porque funciona como um filtro, mas está quase saturada com anidrase carbônica, uma enzima "desenvolvida por células vivas ao longo de milhões de anos para ajudar a se livrar do dióxido de carbono de forma eficiente e rápida". O professor da universidade do Novo Mexico, Ying-Bing Jiang, surgiu com o conceito de empregar membranas aquosas, inspiradas por processos no corpo humano que separam o CO2. Brinker disse que o arranjo da membrana dentro da chaminé de uma estação geradora seria similar a um conversor catalítico em um carro. O trabalho já foi patenteado e as empresas de energia demonstraram interesse. Além disso, as membranas funcionam de maneira eficiente por meses em laboratório.

Reprodução - https://inhabitat.com/bio-inspired-membrane-captures-90-of-co2-in-power-plant-emissions/

Notícias em destaque
Notícias recentes
Arquivo
Siga-nos
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© 2018 by Ideologia Coletiva. Todos os direitos reservados.