Quênia impõe a lei mais dura do mundo contra sacolas plásticas: quatro anos de prisão ou multa de US

Os quenianos que produzirem, venderem ou até mesmo usarem sacolas plásticas correm o risco de prisão de até quatro anos ou multas de US $ 40 mil, com a lei mais rígida do mundo destinada a reduzir a poluição plástica. A nação do leste africano uniu-se a mais de 40 outros países que proibiram ou tributaram sacolas plásticas descartáveis, incluindo China, França, Ruanda e Itália. Muitas sacolas penetram no oceano, estrangulando tartarugas, sufocando aves marinhas e enchendo os estômagos de golfinhos e baleias com resíduos até morrerem de fome.

foto - www.pri.org

"Se continuarmos assim, até 2050, teremos mais plástico no oceano do que peixes", disse Habib El-Habr, especialista em lixo marinho trabalhando com o programa ambiental da ONU no Quênia. Sacos plásticos demoram entre 500 e 1.000 anos para desaparecerem, e também entram na cadeia alimentar humana por meio de peixes e outros animais. Nos matadouros de Nairobi, algumas vacas destinadas ao consumo humano tiveram 20 sacos retirados de seus estômagos. A lei do Quênia permite que a polícia vá atrás de qualquer pessoa que esteja carregando uma sacola plástica. Mas Judy Wakhungu, ministra do Meio Ambiente do Quênia, disse que a aplicação da lei inicialmente seria direcionada a fabricantes e fornecedores. Demorou três tentativas do Quênia ao longo de 10 anos para finalmente passar a proibição. As grandes redes de supermercados do Quênia, como a francesa Carrefour e a Nakumatt, já começaram a oferecer aos clientes sacolas de pano como alternativas.

Fonte: https://www.theguardian.com/environment/2017/aug/28/kenya-brings-in-worlds-toughest-plastic-bag-ban-four-years-jail-or-40000-fine

Notícias em destaque
Notícias recentes
Arquivo
Siga-nos
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© 2018 by Ideologia Coletiva. Todos os direitos reservados.