Moradores de Joinville querem plantar alimentos em terrenos baldios

A união de moradores para criação de hortas comunitárias já é política pública em algumas cidades brasileiras. E é isso que moradores de Joinville, em Santa Catarina, estão buscando. Por meio do projeto de lei nº 26/2017, o município poderá fomentar o uso de terrenos ociosos para o cultivo de alimentos orgânicos.


O PL 26/17, do vereador Adilson Girardi (MDB), institui o aproveitamento de terrenos baldios, públicos e particulares. O texto afirma que Joinville tem cerca de mil imóveis ociosos. Usá-los na produção de alimentos vai ajudar famílias de baixa renda, sobretudo, neste momento em que a pandemia agrava a fome entre os brasileiros. Segundo pesquisa da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN), hoje 19 milhões de brasileiros estão passando fome e 116,8 milhões vivem em situação de insegurança alimentar, ou seja, não têm acesso pleno e permanente a alimentos.


Fortalecer redes de cultivo próprio de alimentos é possível, eficaz e gera autonomia. A ideia do projeto é regularizar as hortas já existentes e estimular o surgimento de novas.


O projeto de Girardi, chamado “Programa Municipal de Hortas Comunitárias”, abre a possibilidade de inscrição para “todo cidadão residente no município”, além de instituições sem fins lucrativos. Esta é uma das reclamações dos coordenadores das atuais hortas comunitárias na cidade.


Quando o projeto passou pela Comissão de Urbanismo da Câmara de Joinville, em fevereiro deste ano, Thiago de Oliveira, coordenador da Horta Sabor da Terra, afirmou que é preciso permitir que pessoas físicas, e não somente jurídicas, possam ser responsáveis pelas hortas. “A exigência de uma entidade organizada se torna um obstáculo para os interessados em ingressar no programa”.

Reprodução - https://ciclovivo.com.br/mao-na-massa/horta/joinville-plantar-alimentos-terrenos-baldios/

Notícias em destaque
Notícias recentes